No fim da tarde de sexta-feira (01/02), Mirassol do Oeste foi atingida por forte chuva, que em alguns momentos chegou a alagar pontos isolados das principais avenidas da cidade. Enquanto a população buscava abrigo em suas casas ou locais de trabalho, chamou a atenção de uma comerciante o fato de que, apesar das enxurradas que se formavam, o serviço de coleta de lixo seguia normalmente.

Ela relatou que mesmo naquelas condições, os coletores exerciam seu papel de forma alegre, carregando sempre um sorriso no rosto! Agiam como aqueles que têm consciência da importância do trabalho que desenvolvem. "Esses meninos de ouro não param. São pessoas humildes e trabalhadoras que sempre estão sorrindo e de bem com a vida. A vocês meus parabéns", declarou a comerciante.

Procurada pela reportagem do Mirassol Urgente, um dos coletores, o Sr. Paulo Sérgio, falou sobre o dia a dia da profissão. Segundo ele, a rotina de trabalho é dura, começando às 16h e seguindo ate às 23h, de segunda a sexta-feira. Mas mesmo assim se sente satisfeito, pois recebe o carinho da população por onde passa, em especial das crianças.

"Somos funcionários de uma empresa terceirizada, contratada pela prefeitura. A prefeitura nos fornece todo equipamento de proteção individual, mas o salário, de pouco mais de mil reais, é repassado pela empresa. O que faz valer a pena é saber que nosso trabalho traz benefícios para a população."

Por certo, o serviço de coleta de lixos auxilia não só na higienização urbana como também é um elemento decisivo na prevenção de doenças e manutenção da saúde da população. Um belo exemplo de quem faz um serviço grandioso, sem fazer questão de receber aplausos. Ainda que mais que merecidos!

 

 

Na manhã do último dia 25 aconteceu a “Palestra Magna”, ministrada por Osmar Della Valentina, Presidente do Grupo Gazin, dirigida aos mais de 8 mil funcionários de todo o Brasil. O evento foi transmitido ao vivo pela TV aberta com apresentação dos resultados de 2018, um lucro de R$ 285 milhões. O gestor deu as direções estratégicas que nortearão os negócios de 2019, colocando as pessoas no centro da operação sendo elas clientes, funcionários, fornecedores, acionistas e comunidade.

Falou sobre o otimismo da empresa em relação a economia diante de um novo cenário político, o que impacta diretamente no aumento do consumo do brasileiro e capacidade de empregabilidade das organizações. Apresentou as diretrizes que conduzirão a Gazin nesta jornada, onde a principal é o “Cliente em 1º Lugar” e os gestores de cada área de negócio fizeram um compromisso público com os clientes em canal de TV aberto.

Della Valentina também discorreu sobre os fatores comportamentais que construíram a empresa e a manterão em crescente no mercado competitivo, entre eles a adaptabilidade às mudanças, coragem para tomada de decisões, simplicidade para inovar, produtividade para produzir cada vez mais e melhor atentos as metas orçamentárias e humildade nas relações entre as equipes, priorizando a integração das áreas e o diálogo.

O momento mais aguardado pelos funcionários foi o anúncio da PLR (Participação do Lucro e Resultados), o “14º salário”, a empresa excedeu a porcentagem proposta inicialmente de 5% e no geral partilhará mais de R$15.746.180 reais com os funcionários que atendem as normas e regras do benefício, o que significa R$ 2.510,53 para cada um. Esta é uma ação que dá sentido à prática de transparência da empresa em comunicar e celebrar com os funcionários mês a mês os resultados conquistados coletivamente pelo Grupo Gazin, validando a visão do presidente de que “sozinhos vamos mais rápido, mas juntos vamos mais longe”.

Quer assistir ao vídeo de parte da palestra? Clique aqui!

Adolescente Maria Eduarda, de 14 anos, moradora de Pontal do Araguaia (512 km da Capital), foi encaminhada em estado grave para o Pronto-Socorro de Cuiabá para dar continuidade ao tratamento de uma grave bactéria na boca, supostamente, contraída durante o consumo de tereré (bebida gelada a base de erva-mate) com amigos.

Quando surgiram as primeiras complicações, adolescente ficou internada durante 15 dias em hospitais de Aragarças (Goiás) e Barra do Garças. Porém, na noite de quarta-feira (16), a família decidiu transferir a menina de hospital por meio de UTI aérea .

“Os rins começaram a paralisar e estava afetando outros órgãos. Diante disso, decidimos transferi-la para o hospital em Cuiabá, que tem mais condições de atendimento”, destacou Glaubia Silvia, tia da garota.

Ela contou ainda que a sobrinha contraiu a infeção logo após o Natal, em 25 de dezembro passado. A boca dela ficou inchada, cheia de feridas e mal conseguia tomar água. “Ficou a coisa mais esquisita”, completou Glaubia.

A tia revelou que a menina passou por sete médicos que não souberam diagnosticar de que forma a bactéria foi contraída. Foi apenas no oitavo profissional que surgiu a suspeita de que Eduarda tenha sido infectada por meio da bomba que é usada para beber tereré.

De acordo com Glaubia, novos exames vão apontar que tipo de bactéria atingiu a adolescente.

Os familiares também promovem uma festa na Feira Coberta do Pontal do Araguaia, com o objetivo de arrecadar fundos para custear o tratamento de Eduarda. O evento ocorre na noite desta sexta-feira (18), às 20h.

Perigo

Apesar de ser pouco divulgado, médicos alertam sobre a possibilidade de contágios de doenças como herpes e mononucleose infecciosa que podem ser transmitidas pela bomba compartilhada, por isso, a orientação é que cada um tenha a sua.

Mononucleose também é conhecida como a doença do beijo, uma infecção causada pelo vírus Epstein-Barr, transmitido através da saliva, que provoca sintomas como febre alta, dor e inflamação da garganta, placas esbranquiçadas na garganta e ínguas no pescoço.

Últimas notícias

Gazin - Aniversário - 03
O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.
Entrar Mais tarde