O projeto “Prevenção Começa na Escola” percorreu aproximadamente 400 Km, nesta segunda e terça-feira (26 e 27) para apresentação a cerca de três mil estudantes dos municípios de Indiavaí, Reserva do Cabaçal e Araputanga. O objetivo da iniciativa é sensibilizar crianças e adolescentes sobre questões relacionadas a violência, abuso sexual, bullying, racismo, entre outras práticas comuns no ambiente escolar.

A atividade consiste em intervenções culturais nas escolas, voltadas para professores, pais e alunos. O projeto é uma iniciativa do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Procuradoria Especializada na Defesa da Criança e do Adolescente com o apoio das Promotorias de Justiça dos municípios envolvidos.

Somente em Araputanga foram quatro apresentações. “Estamos percorrendo o Estado para sensibilizar as secretarias municipais de educação, agentes da rede de proteção à criança e ao adolescente e a comunidade escolar sobre a importância da prevenção, bem como estimular o debate desses temas. Para isso, convidamos a companhia de teatro Vostraz que, por meio de apresentações, responde a questionamentos como ‘o que é’, ‘o que fazer’ e ‘onde buscar ajuda’”, explicou o procurador de Justiça Paulo Roberto Jorge do Prado. O projeto foi lançado no ano passado e já passou por várias cidades de Mato Grosso.

“Queremos que a abordagem se estenda para qualquer tema que a comunidade escolar, estudantil, pais e promotores entendam ser conveniente. É aberto ao promotor desenvolver no seu espaço, no seu contexto, questões relacionadas a drogas, suicídio, trabalho infantil, violência doméstica, relação pais e filhos, entre outros assuntos”, acrescentou o procurador de Justiça.

A promotora de Justiça de Araputanga, Mariana Batizoco, destacou a relevância da iniciativa. “Esse projeto é de suma importância para sensibilizar crianças e adolescentes acerca de temas que são recorrentes na comarca. De forma lúdica, com uma linguagem muito mais acessível e tocante a esse público, o projeto desperta a consciência dos alunos para a necessidade de denúncia no caso de abuso sexual, e para os efeitos prejudiciais do bullying ou dano ao patrimônio público. Para essas crianças do interior é algo extremamente novo. A maioria delas, que vêm de Reserva do Cabaçal e de Indiavaí, certamente nunca viram uma peça de teatro, então o evento foi realmente um marco para a comarca de Araputanga, por trazer algo diferente e inovador para tratar de temas tão importantes”.

 

 

Últimas notícias

Gazin - Melhor empresa (31/12)
O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.
Entrar Mais tarde