Seguindo uma tendência que visa a preservação ambiental, o lixão municipal de Mirassol D'Oeste deverá ser substituído por um aterro sanitário.A diferença é que, ao invés de os resíduos serem lançados na natureza sem qualquer tratamento, será realizada a separação dos materiais para uma destinação adequada.

Em virtude desta nova realidade, está em estudo formas de se custear as despesas deste tratamento. Uma das alternativas é a cobrança de uma taxa pelo serviço de tratamento deste lixo.

O valor desta taxa, se aprovada, levará em consideração a quantidade de lixo produzido, o tamanho do imóvel do morador, sua situação econômica e, ainda, prevê a concessão de descontos para aquele que realizar a separação do lixo, de acordo com os critérios da coleta seletiva (papel, plástico, metal, vidro, orgânico). 

Como o assunto ainda está em discussão, até o momento, não se tem uma definição sobre o valor exato a ser cobrado.

O Projeto de Lei que cria a Taxa de Lixo já foi encaminhada à Câmara Municipal pela Prefeitura e, em reunião realizada na tarde da última quinta-feira (21/02), chegou-se a decisão de que, antes de se levar o Projeto de Lei para votação entre os vereadores, será realizada uma série de audiências públicas, primeiramente nos bairros da cidade e, por último, na sede da Câmara Municipal.

Nestas audiências, a população conhecerá detalhes da proposta e, em seguida, poderá opinar a respeito. Somente após estas audiências e ouvidos os moradores, é que se pretende levar a votação o assunto que, uma vez aprovado, autorizará o início da cobrança. 

Você pode ter acesso ao conteúdo integral do projeto, clicando aqui

 

 

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.
Entrar Mais tarde