Às vésperas do início das aulas, prevista para o próximo dia 11 de fevereiro na rede estadual de ensino, pais de alunos da rede municipal de educação seguem sem uma posição sobre quando seus filhos retornarão às salas de aula.

A indefinição ocorre em virtude da falta de professores. No ano passado, a Prefeitura Municipal publicou, ainda em janeiro, Edital para a contratação de 51 profissionais que se submeteram ao Processo Seletivo Simplificado de Contagem de Pontos.

À época, a contratação foi justificada como sendo a alternativa para suprir a "necessidade temporária de excepcional interesse público, suprindo as aulas vagas face a ausência de pessoal para atender a demanda e durante o período de férias, afastamentos e Licenças", segundo o Edital n. 001/2018 que previu, também, que os aprovados naquela ocasião teriam contratos somente até a data de 21 de Dezembro de 2018 - período já encerrado.

Pais reclamam que, ao procurarem informações a respeito do início das aulas, são informados de que a data somente será definida após a contratação, pelo Executivo, de professores por meio de processo seletivo, uma vez que o concurso público aberto para suprir estas vagas de forma definitiva foi suspenso por ordem judicial.

Existe a possibilidade de, com o atraso na realização do processo seletivo, as aulas virem a começar somente no mês de Março de 2019, atrasando o calendário letivo. Este cenário forçaria a realização de aulas aos finais de semana e corte nas férias estudantis, para que se consiga cumprir a carga horária mínima exigida para o ano letivo.

 

Esta matéria é sugestão do leitor. Tem uma sugestão de reportagem? Envie para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

Últimas notícias

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.
Entrar Mais tarde