O bebê de 10 meses que se afogou na piscina da casa onde mora com família, no Bairro Jardim Universitário, em Cuiabá, morreu, na tarde desta quarta-feira (29), no pronto-socorro.

A criança estava internada em uma Unidade de Terapita Intensiva (UTI), depois de ter sido reanimada por familiares e pelo Corpo de Bombeiros, logo após o afogamento.

A notícia da morte foi confirmada pela assessoria do Pronto-Socorro de Cuiabá.

De acordo com os bombeiros, a equipe de plantão recebeu um chamado, na quarta-feira (28), por volta das 18h, informando que uma criança havia se afogado.

Ao chegar no local, os socorristas viram que um tio da criança tentava reanimá-la. Os bombeiros também fizeram a reanimação e conseguiram restabelecer os sinais vitais.

O processo de socorro durou cerca de 2 horas.

Depois da chegada dos socorristas e de ter sido reanimado, o bebê foi encaminhado para o PSMC, onde ficou internado.

O fato
A família relatou à Polícia Militar que o menino andava pelos cômodos engatinhando na companhia da avó e de outra moradora. Em um momento de desatenção, o menino se afastou e foi até a cozinha.

A porta da cozinha estava aberta e a bebê engatinhou até o quintal, nos fundos da casa, onde caiu na piscina.

Os moradores sentiram falta do menino e começaram a procurá-lo pela casa. Ao encontrá-lo na piscina, a avó o retirou às pressas.

Um bebê foi internado na noite dessa quarta-feira (28) depois de se afogar ao cair em uma piscina da casa onde mora com a família, no Bairro Jardim Universitário, em Cuiabá. De acordo com a Polícia Militar, os familiares não viram quando o bebê, de 10 meses, engatinhou da cozinha até cair na água.

A própria família, policiais, bombeiros e socorristas conseguiram reanimar o menino depois de quase duas horas. Ele foi internado no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC).

O pedido de socorro dizia que uma criança havia caído na piscina da casa e se afogado. Quando os policiais militares chegaram foram informados pelos moradores que a criança estava no quarto sendo socorrida pelo tio dela.

A família detalhou à polícia que todos estavam em casa e o menino andava pelos cômodos engatinhando na companhia da avó e de outra moradora. Em um momento de desatenção, o menino se afastou e foi até a cozinha.

A porta estava aberta e a criança continuou engatinhando até que chegou no quintal, nos fundos da casa, onde caiu na piscina.

Os moradores sentiram falta do menino e começaram a procurá-lo pela casa. Ele foi encontrado na piscina e retirado às pressas pela avó.

A reanimação da criança foi feita em revezamento entre a família e os socorristas. Depois de quase duas horas, os sinais vitais do bebê foram reestabelecidos.

O bebê foi colocado na ambulância do Samu e escoltado por três viaturas da PM até o Pronto-Socorro.

Os deputados de Mato Grosso aprovaram, na quarta-feira (22), em primeira votação um projeto que obriga o Ministério Público Estadual (MPE) a prestar contas à Assembleia Legislativa (ALMT) sobre gastos no órgão.

Para entrar em vigor, é necessário que o projeto passe por segunda votação e, posteriormente, seja sancionado pelo governador.

O projeto altera a Lei Complementar nº 416, de dezembro de 2010, que trata da Lei Orgânica e o Estatuto do Ministério Público de Mato Grosso.a

A alteração acrescenta as alíneas ‘h’ e ‘i’ ao inciso XVII do artigo 16 da lei citada, obrigando o MPE a “encaminhar à Assembleia Legislativa, relatório trimestral e anual de suas atividades, apresentando, no caso do relatório anual, a evolução dos custos, do controle e da sua eficiência, eficácia e economicidade”.

Já a alínea ‘i’ diz ainda que o MPE deverá “encaminhar a prestação de contas ao Poder Legislativo, mensalmente e anualmente, por meio de balancetes encaminhados nos 30 (trinta) dias seguintes ao encerramento do mês e balanço geral no prazo de 60 (sessenta) dias da abertura da sessão legislativa”.

De autoria de lideranças partidárias, o projeto começou a tramitar na Casa de Leis em maio deste ano.

A proposta teve parecer favorável da Comissão Especial e foi aprovado por unanimidade em primeira votação.

O que é Urgente, não pode esperar! Entre em nosso grupo do WhatsApp e receba alertas de notícias.
Entrar Mais tarde