Presidente ameaça proibir sexo oral em país

EXTRA
O sexo oral pode ser proibido em Uganda. A ameaça vem do presidente do país africano, Yoweri Museveni, de 73 anos.

"Permitam-me lançar um alerta público sobre práticas erradas das quais algumas pessoas participam e que são promovidas por alguns estrangeiros. Uma delas é o que chamam sexo oral", disse Museveni em discurso. "A boca é para comer, não para o sexo. Nós sabemos qual é o endereço do sexo, sabemos aonde é que devemos ir", acrescentou o líder, que vai lançar campanha para criminalizar práticas sexuais "condenáveis".

Museveni gosta de temas polêmicos. Em 2014, ele aprovou uma lei que punia até com prisão perpétua a prática consensual da homossexualidade. Sob muita pressão internacional, o governo anulou a lei meses depois.

Sexo oral é tema recorrente nos discursos do presidente, que prega a abstinência sexual para combater a disseminação do vírus da Aids. Anos atrás, ele comentou: "Você coloca a boca lá e você volta com vermes e eles entram no seu estômago, porque (a boca) é o endereço errado."

Museveni chegou ao poder em 1986, após uma revolta armada. Com 35 milhões de habitantes, Uganda ocupa a 163ª posição no ranking de desenolvimento humano (IDH) feito pela ONU.