Bebida alcoólica adulterada mata mais de 50

G1
Mais de 50 indonésios morreram e muitos precisaram ser hospitalizados desde a semana passada depois de consumirem álcool caseiro adulterado. O álcool era misturado com várias substâncias, entre elas, repelente contra mosquitos, de acordo com a Reuters.

Doze pessoas foram detidas na capital, Jacarta, e em uma província vizinha, por suspeita de fabricar e vender o produto. A televisão local mostra bolsas e garrafas com álcool apreendido.

A polícia informou que ainda não está claro se as vítimas foram envenenadas pelo metanol ou por algum ingrediente utilizado na adulteração.

A agência Efe afirma que Java Ocidental foi a província onde mais mortes foram registradas.

Em 2016, 30 pessoas morreram no centro da ilha de Java depois de consumir álcool de fabricação caseira. A venda de álcool na Indonésia, o país com maior população muçulmana do mundo, é altamente regulamentada e propensa a altos impostos.

Porém, segundo a maior associação muçulmana do país, Nahdlatul Ulama, a comercialização de álcool de contrabando é uma prática comum.

A associação Nahdlatul Ulama, que é considerada moderada, opôs-se em 2017 à proibição da venda de álcool pedida por facções islâmicas mais conservadoras por causa do perigo de se incentivar involuntariamente o consumo de bebidas adulteradas.