Especialista em onça é contra remoção do animal do centro de Cáceres
O doutor em Ecologia pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Fernando Tortato, que é especi...
Boliviano morre em acidente em Cáceres
Na manhã desta quarta feira, 18/07, por volta das 07h00, Investigadores de plantão na 1DP de Cáceres...
Mulher de Eduardo Cunha é condenada a 2 anos e 6 meses
TerraA mulher do ex-deputado Eduardo Cunha, Cláudia Cruz, foi condenada a dois anos e 6 meses pelo T...
Mulher é presa suspeita de torturar, abusar sexualmente e manter em cárcere um adolescente de 16 anos
G1Uma mulher de 33 anos, que não teve o nome divulgado, foi presa nesta quarta-feira (18), em Itumbi...
Time Salesiano de Cáceres conquista posição de destaque no Campeonato de Cosmópolis - SP
O Time Salesiano de Cáceres está superando as expectativas no Futebol Amador. Em recente torneio na ...
Polícia Civil de Mirassol D’Oeste abre seleção para estudantes de Direito
O estágio é de natureza não remunerada e sem vínculo empregatício de qualquer natureza com a Institu...
Especialista em onça é contra remoção do animal do...
Boliviano morre em acidente em Cáceres
Mulher de Eduardo Cunha é condenada a 2 anos e 6 m...
Mulher é presa suspeita de torturar, abusar sexual...
Time Salesiano de Cáceres conquista posição de des...
Polícia Civil de Mirassol D’Oeste abre seleção par...

G1
Mais de 50 indonésios morreram e muitos precisaram ser hospitalizados desde a semana passada depois de consumirem álcool caseiro adulterado. O álcool era misturado com várias substâncias, entre elas, repelente contra mosquitos, de acordo com a Reuters.

Doze pessoas foram detidas na capital, Jacarta, e em uma província vizinha, por suspeita de fabricar e vender o produto. A televisão local mostra bolsas e garrafas com álcool apreendido.

A polícia informou que ainda não está claro se as vítimas foram envenenadas pelo metanol ou por algum ingrediente utilizado na adulteração.

A agência Efe afirma que Java Ocidental foi a província onde mais mortes foram registradas.

Em 2016, 30 pessoas morreram no centro da ilha de Java depois de consumir álcool de fabricação caseira. A venda de álcool na Indonésia, o país com maior população muçulmana do mundo, é altamente regulamentada e propensa a altos impostos.

Porém, segundo a maior associação muçulmana do país, Nahdlatul Ulama, a comercialização de álcool de contrabando é uma prática comum.

A associação Nahdlatul Ulama, que é considerada moderada, opôs-se em 2017 à proibição da venda de álcool pedida por facções islâmicas mais conservadoras por causa do perigo de se incentivar involuntariamente o consumo de bebidas adulteradas.

Destaques do Dia

Curtinhas

Variedades

Nacional & Internacional

Polícia & Judiciário

Curta-nos no Facebook