SENSUAL: Garota é expulsa de piscina por "maiô provocante"

R7

A ideia era passar um tempo na piscina para relaxar e curtir o momento com o noivo e alguns amigos. Mas nada disso foi possível para Tori Jenkins, que foi reprendida pela gestão do condomínio enquanto usava a área de lazer do apartamento onde vive em em Knoxville (EUA). Ela foi, na verdade, abordada e convidada a se retirar do local. É o que conta o noivo dela, Tyler Newman, que fez um post nas redes sociais detalhando o ocorrido .

Indignado, Tyler diz que ele e Tori estavam sentados na área da piscina com amigos quando foram abordados por uma pessoa do condomínio, cujo nome não foi mencionado. Até o momento, sem saber do que se tratava, ela foi chamada para um escritório do condomínio. Chegando lá, foi informada de que, por ter um corpo mais voluptuoso, seu traje era muito "inadequado". "Disseram a ela que havia muitos garotos adolescentes por perto e, vestida dessa maneira, ela poderia exitá-los", conta.

O relato, que teve a tal foto do "maiô revelador" anexado, continua: "Quando minha noiva respondeu que não considerava o traje vulgar e que sabia exatamente como era o maiô, pois foi ela mesma quem comprou, o responsável tentou argumentar que ela não entenderia a situação, a menos que tivesse filhos".

Mas a situação foi de mal a pior. O sujeito ainda disse que um traje de banho "normal" abrange toda a parte de trás — o bumbum, no caso!

"Nunca vi minha noiva tão envergonhada. Nunca vi a vi chorar tanto que nem aquele dia. Tudo porque alguns ignorantes queriam impedir de usá-la o que ela queria usar. Nunca vi uma mulher ser tão desrespeitada'', protesta Newman.

"Sim. Tivemos que sair, apesar de pagarmos mensalmente US $ 300 (R$ 1.000, em média) de condomínio. Esse valor, na teoria, significa que podemos usufruir da piscina", protestou o noivo dela.

O post do americano foi compartilhado no Facebook e atraiu centenas de comentários. A maioria esmagadora entrou em defesa de Tori. "Não há nada de errado com o que ela está vestindo", escreveu uma mulher. 

Alguns usuários ficaram abismados e classificaram como "humilhante" a posição do prédio. Uma outra pessoa sugeriu medidas drásticas: "Se eu fosse vocês, processaria".