Variedades

SEGUNDO ESTUDOS: Brasileiras sentem mais prazer se masturbando

METROPOLES
Uma pesquisa lançada na última semana pelo site Prazerela revelou que apenas 17% das mulheres brasileiras conseguem gozar durante a penetração. A grande fonte de prazer, segundo 60% das entrevistadas, está na estimulação externa do genital, ou seja, na masturbação.

Os dados mostram ainda que 74% das mulheres disseram ter orgasmos sempre que se masturbam, enquanto apenas 36% têm orgasmos frequentes nas relações sexuais. Além disso, quando se masturbam, 70% das mulheres gostam de tocar diretamente no clitóris, sendo que 67% usam apenas as mãos e 21% se estimulam com algum vibrador.

Quando perguntadas sobre a forma que elas têm mais prazer, 27% apontaram ser quando o parceiro faz sexo oral; 22% quando são tocadas o clitóris; e 19% quando se masturbam sozinhas. Participaram da pesquisa 1.370 mulheres. O perfil predominante foi de mulheres heterossexuais, monogâmicas, entre 21 e 40 anos, solteiras, com predominância da região Sul e Sudeste.

As principais dúvidas e dificuldades em relação à intimidade sexual, de acordo com as entrevistadas, é que elas ainda se sentem pressionadas a chegar ao orgasmo durante a penetração. “Esse é um dado social que reforça a nossa cultura falocêntrica. Por outro lado, vai contra a anatomia feminina: o orgasmo pela penetração vaginal é raro pois se trata de uma região pouco inervada”, explica Mariana Stock, idealizadora da pesquisa.

“Numa concepção social de que sexo é igual à penetração, a libido da mulher é diretamente afetada uma vez que a grande maioria delas não sente prazer ao serem penetradas. Por isso, pesquisas comparam a satisfação sexual entre mulheres heterossexuais e mulheres bissexuais e homossexuais deixam claro que mulheres que se relacionam com mulheres estão muito mais satisfeitas. Mas, isso não é para assustar os homens. Pelo contrário, está na hora deles perceberem que têm um corpo inteiro para transar e tirar um pouco o foco da penetração”, finaliza Mariana.

A educadora sexual Karol Rabelo aponta que a palavra masturbação ainda causa muito bloqueio nas mulheres. “Não só por questões religiosas, mas por impedimento ao se tocar. É uma prática que as ajudam a entender as reações do corpo e orientar o/a parceiro/a a como estimulá-la melhor, mas poucas mulheres tem essa liberdade com o próprio corpo, até pela forma como foram criadas”, explica.Apesar dessas dificuldades, Karol afirma que se masturbar é muito importante para o autoconhecimento e para entender o processo pelo qual o corpo passa. “Nosso organismo oscila muito, ainda mais por questões hormonais, então nossa sensibilidade está sempre diferente. Os estímulos parecem diversos em determinados momentos do mês e da vida”, argumenta.

Ela ainda revela que existem exercícios que servem tanto para quebrar o entrave quanto para mulheres que já tem a liberdade de se tocar, mas mesmo assim querem compreender melhor. Uma prática simples é, durante o banho, se ensaboar com sabonete líquido e deslizar a mão facilmente pelo corpo. “Parece simples, mas isso ajuda a entender as reações do corpo e tira aquela ideia de ser algo sexual, porque a masturbação às vezes causa repulsa e isso vai ajudar a quebrar a barreira aos poucos”, ensina.

Karol também recomenda tirar um tempo para se conhecer melhor, mesmo que sejam só dez minutos. Colocar uma música relaxante, fechar os olhos, estar num local confortável e usar vibradores podem ajudar a estimular o corpo.

A educadora sexual ainda acrescenta que é essencial conhecer um pouco da anatomia do corpo, para saber como excitá-lo. “A grande maioria não sabe sobre o próprio clítoris, acha que é só o botãozinho bem acima extremamente sensível, mas o clítoris fica em toda parte frontal da vulva”.

Seis dicas para dar um boost na masturbação

1) Massageie o ponto externo do clítoris, que vai ser o estopim para a excitação. Vale alternar os sentidos para cima e para baixo, em círculos e com maior intensidade;

2) Continue a massagem seguindo para a parte inicial da entrada do canal vaginal;

3) Introduza o dedo no canal vaginal e massageie a região;

4) Com os dedos dentro da vagina, faça um gancho. Facilita encontrar o ponto G, que é a região mais esponjosa;

5) Faça um movimento de vai e vem com os dedos, na velocidade que for confortável, percebendo as reações do corpo;

6) Use óleos vibratórios para aumentar a excitação. Já excitada é mais fácil para a mulher se estimular.

DURANTE PROGRAMA: Silvio se irrita com lugares vazios no auditório

O Dia
Silvio Santos não gostou de um detalhe no seu último programa, neste domingo. Dois lugares vazios no fundo do seu auditório atraíram a atenção do apresentador, que resolveu tirar satisfação com o diretor, Fabiano Wicher.

“Ô, Fabiano! Tem duas cadeiras vazias, tá bom? É assim que começa a derrocada. Começa com duas vazias, depois tem cinco, oito, vinte, depois não tem ninguém”, reclamou.

Silvio foi informado que os ocupantes das cadeiras estavam no banheiro e disparou: “Foram ao banheiro? É uma boa desculpa, tá? No outro dia tinham cinco cadeiras vazias. Está começando a esvaziar, está começando a acabar com o meu programa, estou avisando”.

“É assim que começa. Nunca faltaram duas pessoas, outro dia foram cinco. Cada dia está esvaziando mais. Nada dura para sempre, a gente tem a hora de começar, a de subir e a de descer. Estou descendo”, completou.

Suspeito de receptação vereador pode perder cargo de presidente da Câmara de Araputanga

O presidente da Câmara Municipal de Araputanga, José Vicente de Carvalho (PP), popularmente conhecido por Zé do Gezo, foi indiciado por crime contra o patrimônio, natureza receptação, conforme o Art. 180 do Código Penal - Decreto Lei nº 2.848/40.

De acordo com o Boletim de Ocorrência (B.O) nº 2018.241540, na noite de 01 de agosto, a Delegacia de Polícia Judiciária Civil de Araputanga, recebeu via 197 informações de que um aparelho celular J5 Prime, cor dourado, que havia sido roubado no dia 25 de julho estaria em posse do vereador.

Diante da informação, o delegado Miguel Macário Lopes efetuou ligação ao vereador, solicitando sua presença na delegacia. Questionado, o vereador José Vicente de Carvalho informou que havia comprado o aparelho celular pelo valor de R$ 600,00 (seiscentos reais) de uma pessoa identificada por Juraci vulgo "Gordo".

O caso foi registrado como de natureza receptação consumado, para as devidas providências.

Consultado, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, vereador Luiz Gonçalves de Seixas Filho classificou a ocorrência como grave ao informar que se a suspeita de receptação for confirmada o presidente da Câmara poderá perder o cargo.

O presidente da Câmara Municipal, José Vicente de Carvalho, confirmou a compra do referido celular e disse que não sabia que o aparelho era roubado.

Por: Jornal Popular

VIDA SEXUAL: Mulher vende cursos de 'Kung Fu vaginal'

UNIVERSA UOL
“A maioria das mulheres tem vaginas entorpecidas e com baixo funcionamento. Você pode atirar bolas de pingue-pongue com sua vagina? Se você não puder, não está sozinha. 99,9% das mulheres não dominam essa habilidade essencial da vida. Depois disso, você terá mais (e melhores) orgasmos e poderá fazer com que seu homem ejacule (ou não!) com o poder de sua vagina. Você pode até aprender a ejacular!”.

Esse é o texto de apresentação de um curso on-line de oito semanas de "kung fu vaginal", que promete “fortalecer e tonificar a vagina e turbinar seus orgasmos”, desenvolvido por Kim Anami, uma britânica de 38 anos, que se apresenta como treinadora sexual e de relacionamentos.

“Kung fu, que você conhece como arte marcial, significa o estudo intenso para desenvolver o domínio de algo. Tornar-se mestre. Em essência, o objetivo do curso é tornar a vagina tonificada e forte, como qualquer outro músculo que você trabalha na academia”, explica Anami.

Anami diz estudar Tantra e Taoismo desde os 22 anos. Embora não revele detalhes, a treinadora indica que o "kung fu vaginal" reúne exercícios derivados do pompoarismo e séries que trabalham a musculatura pélvica como um todo.

“Muitas mulheres têm vaginas muito fracas. A força vaginal é muito subvalorizada em nossa cultura. A arte do disparo de bolas de pingue-pongue com a vagina, por exemplo, é desconhecida no Ocidente. No entanto, em países asiáticos é um esporte popular. No Ocidente, até há alguma prática dos exercícios, em especial para problemas no útero e incontinência urinária, mas não é o suficiente e muitas praticantes contam que não atingem os resultados pretendidos”, afirma.

Anami garante que as mulheres que fazem o curso tornam-se capazes de atirar bolas de pingue-pongue e até mover móveis, mas o principal é a melhora da atividade sexual, com a capacidade de ter todos os tipos de orgasmo vaginal possíveis (ponto G, cervical, entre outros) e controlar o momento da ejaculação do parceiro, com o movimento da vagina.

“Se uma mulher é desconectada de sua sexualidade e de sua vagina, ela está operando em grande desvantagem. Em todo o mundo, as mulheres sofrem com a condição debilitante de não terem prazer sexual suficiente. Quando falo de vaginas que atiram bolas de pingue-pongue, abrem garrafas de cerveja e ganham recordes mundiais, essas não são exceções selvagens para o que as vaginas podem fazer. Toda mulher pode fazer essas coisas”, diz.

Brasileira que fez o curso conta como funciona

A advogada brasileira Daniele, 34 anos, fez o curso on-line no ano passado por US$ 1.000. “Você, realmente, aprende a controlar melhor e fortalece a musculatura da vagina. Algo que melhorou o sexo. Você movimentar ali e interagir com o pau do cara, ele delira. E passei a sentir mais também. Mas tem muito exagero na propaganda”, conta.

“Não fiz o curso para isso. Queria me conhecer melhor e experimentar. Mas, pelo menos comigo, não houve um aumento absurdo no número de orgasmos e ainda não estou disparando objetos e quebrando as paredes. Vai ver preciso exercitar mais”, completa, rindo.

Segundo Daniele, há aulas que envolvem meditação e uma mistura de filosofias orientais, mas há, também, um bom aprendizado sobre o funcionamento do corpo e muitos exercícios práticos.

“Tem movimentos que são como exercícios localizados de academia, só que voltados para a pélvis. Outros são bem pompoarismo, mesmo. Você começa introduzindo e movimentando o ovo de jade no canal vaginal. Depois, são exercícios em que você introduz o ovo de jade e dele sai um fio em que são presos outros objetos. Aí, tem que levantar os objetos com a força da vagina”, descreve.

No entanto, a aluna do "kung fu vaginal" também tem críticas ao curso e diz que daria uma nota seis —baixa para um custo de mais de R$ 4.000.

“Alguns vídeos aparentam ser antigos e podiam ter uma atualização. A sessão de perguntas e respostas, supostamente ao vivo, não funcionava direito. As respostas não chegavam ou eram respostas claramente padronizadas”, reclama.

Pesos de até 4,5 kg e sexo matinal

Kim Anami ficou famosa justamente postando fotos no Instagram, onde, aparentemente, segura objetos variados com sua vagina, de pequenas peças decoração a pranchas de surfe. Ela diz ser capaz de erguer até 4,5 kg. A repercussão levou a treinadora a fazer, além dos cursos on-line desse e de outros temas, retiros espirituais sexuais duas vezes por ano.

O próximo “Orgasmic Enlightenment Retreat” será de 10 a 17 de novembro, na exclusiva praia de Banderas Bay, em Puerto Vallarta, no México. O preço, porém, pode comprometer o tesão de muita gente: US$ 12 mil o casal, US$ 8.000 para solteiras ou solteiros.

Em seu site, onde é possível ver trechos de alguns cursos, como uma espécie de amostra grátis, Anami também fala de conceitos como “five laws of orgasm” (as cinco leis do orgasmo) e “the well-fucked woman” (a mulher bem fodida), e destaca a importância de se fazer sexo no período da manhã.

“Sexo matinal. Eu digo a todos os meus clientes para definir seu alarme 30 minutos mais cedo e começar seus dias de folga com um ‘bang’. Em vez de tentar forçar o sexo no final da noite, quando a maioria das pessoas está exausta, experimente um enorme neurotransmissor e um estímulo hormonal logo pela manhã. Ele vai dar mais força do que o seu café da manhã.”

Destaques do Dia

Curtinhas

Variedades

Nacional & Internacional

Polícia & Judiciário

Curta-nos no Facebook