Mundo

MALAYSIA AIRLINES: Homem diz ter localizado avião desaparecido em 2014

EXTRA

Um homem diz ter localizado no Google Maps o avião da Malaysia Airlines desaparecido em 2014 com 239 pessoas a bordo. A aeronave sumiu dos radares após um desvio intencional da rota, mas os corpos das vítimas nunca foram encontrados.

Ian Wilson acredita que, após analisar a ferramenta on-line, encontrou o avião em região de floresta do Camboja. A mancha branca, que teria forma de uma aeronave, é vista no Google Maps.

"Medindo, estamos de diante de algo com 69 metros, mas há um espaço entre a cauda e a traseira da aeronave", disse Ian, em reportagem do "Metro".

O relatório final do acidente com o voo MH370, que contém 400 páginas, apontou inúmeras falhas dos controladores aéreos na Malásia e no Vietnã, em particular na ativação do protocolo de "fases de emergência", depois do desaparecimento dos radares do Boeing 777. O avião havia decolado em 8 de março de 2014 de Kuala Lumpur rumo a Pequim. O documento eliminou a possibilidade de o avião estar no piloto automático, que um mau funcionamento mecânico tenha ocorrido ou que o computador fosse o culpado pela tragédia.

A hipótese mais provável apontada pelos investigadores é que o avião tenha caído do mar. Muitas operações de buscas foram montadas desde o acidente. Até agora, só foram achados três fragmentos de asas da aeronave. Elas estavam no Oceano Índico.

O voo MH370 fez contato via satélite sete vezes nas seis horas após o avião ter deixado as telas de radar. O último momento sugere que a localização da aeronave estava perto da costa australiana, no sul do Oceano Índico.

Os quatro transmissores localizadores de emergência do avião falharam e não acionaram os sinais que poderiam ajudar a localizar o Boeing.

Baleeiros da Islândia são acusados de matar gigante raro

A baleia azul é o maior animal do planeta e sua caça é proibida internacionalmente

DO EXAME
A Islândia está no meio de uma polêmica internacional. Na última segunda-feira (7), grupos de conservação da vida marinha publicaram fotos de uma imensa baleia abatida no país para comercialização que, segundo alegam, seria pertencente à espécie Balaenoptera musculus, popularmente conhecida como baleia-azul, o maior animal da Terra.

Medindo até 33 metros de comprimento e pesando mais de 200 toneladas na fase adulta (equivalente ao peso de 20 elefantes africanos combinados), as baleias-azuis foram caçadas à beira da extinção para fins comerciais em muitos países entre 1940 a 1960, quando passaram a ser protegidas pela Comissão Baleeira Internacional. Desde então, a caça às baleias está proibida.

As imagens divulgadas pelos grupos de conservação marinha Hard To Port e Sea Shepherd causaram uma onda de preocupação mundial. Se for comprovado que se trata de uma baleia azul, será a primeira vez que um membro dessa espécie foi morto em meio século.

A empresa baleeira envolvida, pertencente ao caçador islandês de baleias e magnata da pesca Kristján Loftsson, afirma que o animal é um híbrido entre uma baleia azul e outra espécie e que, dessa forma, não teria cometido um ato ilegal.

A partir das fotografias, especialistas em baleias de várias partes do mundo parecem ser da opinião de que se trata de uma baleia azul jovem tendo como base o padrão da pele, a cor e forma da barbatana e o tamanho da cauda. Porém, não há consenso. Autoridades da Islândia vão realizar testes genéticos para determinar a espécie da baleia, um processo que pode demorar meses.

A Islândia vende quase toda a sua carne de baleia para o Japão, um dos poucos países que rejeitam o acordo internacional para proteger as baleias. Porém, se for comprovado que o animal é uma baleia azul, então a carne não pode ser legalmente comercializada.

Com uma população global estimada entre 10.000 e 25.000 espécimes, a baleia azul é listada pela União Internacional para a Conservação da Natureza como “ameaçada” de extinção. Antes do início da caça comercial no século 20, a população de baleias azuis era estimada em 200 mil.

Após 25 anos, homem consegue CNH

ZERO HORA
O britânico Christian Whiteley-Mason, de 42 anos, atualizou o significado da palavra persistência. Depois de 33 tentativas, 14 instrutores diferentes e 25 anos de aulas, Mason conseguiu passar no exame prático para obter sua licença para dirigir. A história foi compartilhada pelo jornal Mirror e fez sucesso nas redes sociais.

O homem teve 85 aulas em todo este período e gastou 10 mil libras (cerca de R$ 50,4 mil reais) em todo este período. Ele realizou o exame pela primeira vez em 1992 e até mesmo seu marido, Darren, brincava com a situação.

- Você é um acidente esperando para acontecer - dizia.

Ele falhou no primeiro teste aos 17 anos e, de lá para cá, não vinha mostrando sinais de evolução no volante, mesmo tendo passado por 14 instrutores diferentes.

"Eu estava aprendendo em um carro manual e esse era o problema. Eu comecei a entrar em pânico, minhas pernas tremiam e eu estava nervoso. No meu primeiro teste, eu virei em uma curva, subi em uma calçada e bati em um carro. Eu também cheguei a um sinal de parada, não vi e fui direto. Havia uma examinadora em Barnsley e, assim que ela me viu, soube que seriam 40 minutos de silêncio e isso tornava ainda mais estressante", relata Christian.

Em 2003, depois da 32ª tentativa, Christian desistiu por um tempo de fazer novos testes, "porque estava ficando entediado". Anos depois, quando percebeu que gastava muito com táxi e aluguel de carro para trabalhar, o homem decidiu tomar coragem e retornar às aulas, com um novo instrutor.

Foi neste período, por exemplo, que o britânico passou a recorrer a Deus:

- Eu brincava que devia existir um Deus, porque eu rezava todas as noites pedindo para que não fosse o mesmo examinador que continuasse a me reprovar - disse ao Mirror.

Christian passou a treinar em um carro automático para "tirar o estresse" de lidar com mudanças de marcha."Foi como dirigir um kart. Não houve estresse e foi uma experiência totalmente diferente."

Ele passou no teste e disse que conseguiu comprar seu carro, dando-lhe o nome de Percy.

Vídeo: Mãe cega que canta, ‘Mirian Hernándes’, na rua para sustentar filho, ganha surpresa inesperada

A própria cantora chega de surpresa e começa a cantar com ela. Ao reconhecer sua voz, a mãe não controla a emoção e vai as lágrimas

Um fato inusitado emocionou e continua emocionando muita gente devido a atitude humilde da cantora chilena Miriam Raquel Hernández Navarro, mais conhecida como Miriam Hernandez a qual é cantora, compositora e apresentadora de televisão.

Miriam começou a cantar aos 11 anos de idade e é conhecida internacionalmente, por suas baladas românticas, sobretudo nos países de língua latino americana.

Confira a cena no vídeo abaixo: https://www.youtube.com/watch?v=5RiNNey0fDI

Por: Caicó na Rota da Notícia

Destaques do Dia

Curtinhas

Variedades

Nacional & Internacional

Polícia & Judiciário

Curta-nos no Facebook