Exercícios na gravidez: benefícios para a mãe e para o bebê

Por Mariana Suzuki, médica em Cuiabá 

A atividade física durante a gravidez promove benefícios não somente para a mãe, mas também para o bebê. No entanto, muitas dúvidas são comuns, principalmente sobre as vantagens das atividades no período gestacional. Neste mês de agosto chego ao fim da minha primeira gestação e os exercícios estiveram presente ao longo de toda essa jornada. Neste artigo, quero compartilhar minha experiência e inspirar principalmente as futuras mamães a também aderirem a atividade física na espera de um novo bebê.

O exercício deve ser feito não apenas por mulheres saudáveis e previamente ativas, mas também é um bom momento para adotar um estilo de vida saudável. Há claras vantagens para a mãe e o bebê, além de diminuir alguns desconfortos comuns da gravidez, auxilia até mesmo a preparar o corpo para o trabalho de parto.

Os meus treinos foram mantidos até a 34ª semana gestacional. Normalmente, os obstetras recomendam que a atividade física seja feita a partir da 12ª semana de gestação. Para as mulheres acostumadas à malhação, no entanto, nem sempre é necessário esperar, porque o corpo está habituado à prática.

Sem exercícios, tantas mudanças podem resultar em lombalgia, cervicalgia, incontinência urinária e fecal, formigamento e dormência nas pernas e mãos. É comum também surgirem edemas, cãibras e fadiga, etc. Antes de dar à luz, vale praticar todo tipo de exercícios, desde que, é claro, eles não sejam de alto impacto e não comprometam a segurança da mãe e do bebê.

Entre os benefícios confirmados estão: a prevenção do ganho excessivo de peso (um fator chave na transmissão intergeracional da obesidade) e um menor risco de macrossomia fetal (bebês que nascem com mais de 4 kg), pré-eclâmpsia, diabetes gestacional, cesariana, secção, lombalgia, dor pélvica e incontinência urinária. Nenhuma complicação dessa eu tive na gestação ou outra comorbidade. Claro que isso não se deve apenas aos exercícios, mas também toda a rotina e alimentação praticada no período. A gestação também promove a frouxidão dos ligamentos, alterações dos sistemas cardiovascular, respiratório, gastrintestinal, músculo-esquelético e urinário. Mais razões para adicionar os exercícios na rotina na gestação.

No total, ganhei 13kg na balança. Muitos podem pensar que é uma grande quantia, porém, como já citei, durante toda a minha gestação não tive nenhuma complicação de saúde. Porém a volta ao meu peso de antes será bem mais fácil e rápido não apenas por conta da amamentação, mas também pela rotina de atividades nesses quase nove meses. O que importa não é apenas o peso e sim a saúde nossa e do bebê. Não pense que irá ter a perfeição em tudo na gestação, como um corpo perfeito. Apenas mães com gravidez de risco estão suspensas da prática. Conversar sempre com seu médico é o caminho mais indicado.

O meu conselho para as novas mamães é que vivam cada momento, afinal, cada celulite, cada gordura, pois isso passa tão rápido e quem realmente deseja ser mãe é algo maravilhoso. Sentir o bebê mexendo ao conversar com ele, isso não tem preço. Cuide do seu corpo, mas cuide principalmente do seu espírito, em transmitir o maior amor que puder. Não tem nada de errado em cuidar do corpo e da saúde, mas jamais coloque sua felicidade em uma balança, no seu percentual de gordura ou naquilo que você viu ou leu em uma revista, site duvidoso ou com um famoso. Cada pessoa tem o seu valor. Valorize você, valorize o seu corpo, valorize a sua vida e os seus sonhos. Não viva dos sonhos ou da aparência de outros. Você e seu filho são especiais. 

Mariana Suzuki é médica em Cuiabá, com ampla experiência em longevidade, qualidade de vida e beleza de seus pacientes. Atende na clínica Espaço Sullege Suzuki, localizada na rua João Bento, 170 - Quilombo, Cuiabá – MT. Telefone para mais informações: (65) 3023-3706.

Por: Hernandes Cruz

Destaques do Dia

Curtinhas

Variedades

Nacional & Internacional

Polícia & Judiciário

Curta-nos no Facebook