GASTO IRREGULAR DE COMBUSTÍVEL: Ex-presidente da Câmara de Lambari tem que repor dinheiro

Foto: Facebook

Em decorrência da ausência de documentos comprobatórios de despesas, a gestora da Câmara Municipal de Lambari D'Oeste, Nilva Manea de Araújo, deverá devolver aos cofres públicos o montante de R$ 18.577,61. As irregularidades descumprem as normas e rotinas internas e procedimentos de controles administrativos estabelecidos por Decreto Municipal (041/2011).

A decisão é parte de representação interna movida pela 3ª Secretaria de Controle Externo e relatada pelo conselheiro Moisés Maciel, que foi julgada procedente pelo Pleno do Tribunal de Contas de Mato Grosso na sessão ordinária do dia 06.

Foi aplicada multa no valor de 06 UPFs/MT à vereadora Nilva Manea de Araújo, em razão da não realização de processo licitatório, nos casos previstos na Lei de Licitações (Lei nº 8.666/93). Foi determinado à gestora que, em prazo máximo de 60 dias, sob pena de multa diária no valor de 3 UPFs/MT, apresente ao TCE-MT documentos referentes à despesa ilegal.

ENTENDA O CASO

A ex-vereadora Nilva Manea de Araújo teria realizado despesas, sem documentação comprobatória segundo o TCE, fato ocorrido em 2016 quando Nilva era Presidente da Câmara de Vereadores de Lambari D'Oeste.

Conforme consta no processo 235504/2016, a ex-presidente fez mau uso do dinheiro público como ordenadora de despesa.
 
Pela decisão,  ela será obrigada a restituir R$ 18.577,61, mais multa de 10% sobre este valor (cerca de R$ 1.857 mil) por ter gasto com combustível sem documentação explicando sobre seu objetivo.

Destaques do Dia

Curtinhas

Variedades

Nacional & Internacional

Polícia & Judiciário

Curta-nos no Facebook