Papelaria Risk Rabisk

Parcialmente nublado

30°C

Parcialmente nublado

Veja como ficou a testa do 'ladrão vacilão' 4 meses depois

G1 

Internado para tratar o vício de crack e álcool na Grande São Paulo, o adolescente de 17 anos que teve a sua testa tatuada por dois homens após roubar uma bicicleta em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. Ele diz que hoje vive um dia por vez e que perdoa quem fez a tatuagem em sua testa com a frase "eu sou ladrão e vacilão".

Ao G1 ele falou sobre sua vida atualmente. "Estou aprendendo a viver. A gente tem de viver um dia de cada vez. Já sei o que posso fazer da minha vida: estudar, trabalhar e viver a vida como cidadão. Hoje sei o limite das coisas. Droga derrotou muito a minha vida e a da minha família. Não quero mais, não tenho mais vontade de usar, só quero ficar limpo e andar para frente”, disse ele.

Os homens que fizeram a tatuagem foram presos.  Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos, e o vizinho dele, Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos foram à justiça para uma audiência de instrução. Eles continuarão detidos até a decisão da justiça. Atualmente o adolescente passa 24 horas na clínica Grand House, onde é tratado gratuitamente. Ele passa por uma rotina de programação de atividades como atendimento psiquiátrico, psicológico, de convivência social e atividades lúdicas e esportivas.

No local existem áreas como academia, campo de futeutebol, lago, jarde e piscina. Os mascotes do local são a galinha "Fênix" (que significa renascida das cinzas). “Depois que aconteceu aquele fato comigo eu entendi que não posso mais viver no mundo das drogas. Tenho que colocar na minha cabeça que sou uma pessoa que tem pai, mãe, que nunca me deixaram de lado”, disse o rapaz que havia roubado a bicicleta.

“Eu sou uma pessoa que crê muito em Deus, sei que é minha última chance para eu ficar limpo. Minha mente está aberta, ela estava fechada, não queria ouvir ninguém, não queria escutar ninguém, eu queria ser meu próprio Deus. Coloquei um objetivo na minha vida: crescer, fazer uma escola, um trabalho, e ser digno, honesto”, disse o adolescente que ainda tem marcas visíveis da tatuagem.

Ele ainda falou sobre o dia em que foi dominado pelos rapazes que o tatuaram e sobre o que quer do futuro: “Aquele dia eu estava com problema, estava alcoolizado e defini para mim pegar o que não é meu e acabei fazendo coisa errada. Hoje eu tenho na minha mente que não posso fazer isso, se eu quiser alguma coisa eu tenho de trabalhar e conquistar. Eu quero ser engenheiro ou trabalhar com informática. A Justiça já está feita, eu também errei, mas os dois erraram, deixo na mão da Justiça. Penso mais na minha recuperação”, disse.

"Hoje em dia eu consigo olhar no espelho. Eu não tenho vergonha de mim, eu não vou ter vergonha de mim.”

Assista o video: https://www.youtube.com/watch?v=n6zbLzYbQmI