Papelaria Risk Rabisk

Nublado

31°C

Nublado

Autoridades e sociedade civil organizada se reúnem no Comando da Policia Militar para tratar ação efetiva contra a violência em Mirassol D'Oeste

Moradores de Mirassol D'Oeste (MT) estão assustados com a onda de roubos/furtos na cidade.

Vive-se, em Mirassol D’Oeste, uma insegurança ou falta de segurança pública, situação essa sentida e reclamada por todos os segmentos da sociedade, devido ao vertiginoso aumento da escalada de violência, que, a cada dia, revela-se multivariada e perversa, excedendo aos limites da razoabilidade, suportabilidade e aceitabilidade dessa sociedade e que o termômetro social - Polícia -, não tem conseguido avaliar, controlar e evitar.

É ressabido que a efetividade desse controle independe apenas e tão-só dos policiais. Suas causas não só e apenas da falta de policiamento ostensivo, falta de investigação, postos comunitários que controla e evita (ou pelo menos tenta evitar) as consequências delituais e infracionais.

"O poder público, tem se mostrado incapaz de enfrentar essa calamidade social."

Em 2010, uma audiência pública foi convocada pelo Padre Edson Luiz Dias Cardoso, para tratar dos problemas de violência que vinham ocorrendo no município. Eram invasões em residências, além de agressões a moradores. Por conta disso a população se mobilizou e compareceu em massa nessa audiência, onde pessoas da comunidade puderam expor as suas dúvidas, sugestões e avaliação sobre a segurança da cidade.

À época, várias decisões foram tomadas como a colocação de câmeras em pontos estratégicos, melhor policiamento e consequentemente, melhor atendimento prestado à população no que se trata de segurança, colocar em prática o sistema de Polícia Comunitária, união entre as autoridades, entre outras propostas.

Centenas de pessoas estavam presente nesta importante audiência, além de autoridades como o Juiz e Diretor do Fórum desta Comarca, Comandante do 17º BPM, Delegado de Polícia Judiciária Civil, Defensor Público, Promotor de Justiça, Prefeito Municipal, Presidente da Câmara Municipal, Presidente do CONSEG, além de outras autoridades.

Em 2011, por iniciativa do Conselho Comunitário de Segurança Pública (CONSEG) de Mirassol D’Oeste, aconteceu outra Audiência Pública, para discutir a situação da segurança (ou da falta dela) no município e região.

A justificativa para a realização da Audiência é de que muitos moradores estavam sendo vítimas de violência, o que põe toda a população da região em alerta, vivendo o medo de essa escalada aumente ainda mais, caso não sejam tomadas medidas efetivas pelos órgãos competentes.

Em 2013, mais outra reunião do CONSEG com integrantes das polícias Militar e Civil, MP, vereadores e o prefeito desta cidade, ficou acertada a implantação de uma base da PM na Praça do Jardim São Paulo, bairro mais populoso de Mirassol e projeto de municipalização de trânsito.

Enfim, a situação de violência, ou ausência de segurança pública em Mirassol D’Oeste, tem sido alarmante. 

Portanto, a supremacia da lei e a plena vigência do Estado de Direito, mais o elevado interesse público, que deveria ser uma prioridade absoluta, não é observada para os mirassolenses.

Dessa forma, na tarde desta quarta-feira, 06/12, ocorreu uma reunião no 17º Batalhão de Policia Militar, com representantes das Polícia Militar, da prefeitura, vereadores e sociedade organizada, discutindo ações efetivas de combate à violência no município, sobretudo à onda de roubos e furtos.

A iniciativa foi da Srª Márcia Oliveira, técnica de Segurança Pública, moradora da cidade, que teve o apoio de comerciantes locais. "O objetivo foi traçar um plano de ação com o envolvimento de todos os segmentos da sociedade, em três eixos: prevenção, tratamento e repressão". disse.

A reunião contou com a presença do prefeito eleito Euclides Paixão (PP), do Comandante Adjunto da Policia Militar, Ten. Coronel Waldez Moura Tapajós, do Major PM Barros, dos vereadores Ronaldo da Ambulância (PRB), João Galinha (PSD), Pele Cabeleleiro (PSD), Marlizinha da Educação (PSD), entre outros. Convidados, nenhum representante da Policia Civil compareceu.

Durante o encontro os vereadores e comerciantes destacaram a importância de constituir um organismo permanente, dentro de suas atribuições, para combater a violência em Mirassol D'Oeste.

Os vereadores se manifestaram, dizendo que serão feitos requerimentos ao Governo do Estado de Mato Grosso solicitando mais efetivo e estrutura para os policiais civis e militares, de estudos de um Plano de Enfrentamento a esses delitos, além da viabilidade de conseguir verba para a manutenção das câmeras instaladas na cidade.

O Ten. Coronel Tapajós disse que o envolvimento da sociedade civil organizada, denunciando crimes é um dos fatores que têm ajudado a Polícia Militar a atuar de forma efetiva no combate à criminalidade. “Iremos buscar um reforço junto ao Comando Geral da Policia Militar, principalmente nesse período natalino, além de solicitar o apoio da Policia Civil nessas ações de enfrentamento”, comentou.

Ficou estabelecido pelos presentes, dentre algumas ações, o horário de fechamento dos estabelecimentos comerciais, uma cartilha com dicas de segurança para divulgação na mídia local, entre outras medidas que por motivos de segurança, este site procurou não divulgar.

O prefeito eleito Euclides Paixão elogiou a reunião, acreditando em políticas sociais como sendo o início da criação da cultura de paz no município. Mas também enxerga como sendo de grande importância as ações de repressão e monitoramento. “Vamos trabalhar de um lado com ações sociais e de outro com o enfrentamento direto”, disse.